Treinamento e Desenvolvimento: As principais tendências para 2017

Por 7 de fevereiro de 2017
artigo_tendencias_2

Estamos no início de ano e o planejamento das ações de treinamento e desenvolvimento já começam a agitar os bastidores dos setores de T&D e Recursos Humanos das empresas. Sabemos que planejar um treinamento eficaz, capaz de aumentar a performance das equipes e alinhado aos objetivos institucionais envolve diversas estratégias e metodologias.

E é com esse objetivo que apresentamos este artigo onde listamos as maiores tendências de treinamento e desenvolvimento baseadas na nossa percepção de mercado – nacional e internacional – e as metodologias e tecnologias que foram utilizadas nesta área nos últimos 3 anos.

Este artigo está segmentado em 3 partes:

  • Estratégias de treinamento que funcionam e geram valor;
  • Onde será dado maior foco;
  • Tendências para ficar atento em 2017.

Estratégias de treinamento que funcionam e geram valores

1. mLearning ou Mobile Learning

Ao longo dos últimos 5 anos, a adoção do mobile learning em ações de T&D só vem crescendo. A palavra de ordem no oferecimento de conteúdos para treinamento é: acessibilidade. Fazer com que um treinamento alcance toda a equipe independente do dispositivo que ela esteja utilizando seja desktop, laptop, tablet ou smartphone. Em 2017, a produção de cursos e treinamentos responsivos (adaptados ao dispositivo) continuará gerando muito valor e performance aos seus treinamentos.

2. Microlearning

Com metas cada vez mais rígidas e com a exigência de uma performance cada vez maior dos colaboradores, cada vez mais vem surgindo a necessidade de diminuir o tamanho dos treinamentos e suas respectivas cargas horárias. Aliado a isso, comprovadamente, observamos que o nível de concentração das pessoas na era digital vem sofrendo um decréscimo e, sendo assim, surge um grande desafio: Como elaborar um treinamento eficaz? Uma das estratégias é adotar o microlearning (ou bite sized learning).

O microlearning ou bite sized learning é a estruturação de conteúdos em módulos com pequenos pacotes de informação. O microlearning exige menos tempo do aluno, pois “quebra” extensos conteúdos em pequenos cursos, utilizando recursos que proporcionam rápida absorção de conteúdo e, acima de tudo, garantem a atenção do espectador e a retenção de conteúdo.

Mobile Learning e Microlearning

3. Aplicativos Mobile para Treinamentos

Todos nós sabemos que os smartphones já são considerados a “primeira tela”, isto é, seu uso já ultrapassa a TV e o computador. O uso de aplicativos mobile com foco em treinamento oferece uma solução de aprendizagem que melhora o engajamento dos colaboradores, e permite mais flexibilidade já que não é necessário ter uma conexão com a Internet para ter acesso ao conteúdo. O conteúdo já está disponível e “embarcado” dentro do smartphone.

4. Gamificação

Como previsto em 2010, a gamificação vem se consolidando a cada ano e continua sendo uma forte tendência em ações de treinamento e desenvolvimento em 2017. A baixa efetividade em treinamentos que utilizam metodologias e abordagens mais tradicionais abre espaço para o crescimento da Gamificação quando se trata em desenvolvimento de pessoas. O uso de jogos corporativos que retratam situações do cotidiano do colaborador ou que emulam o uso de softwares e equipamentos faz com que a experiência de aprendizagem seja mais imersiva, dinâmica e divertida.

Gamificação - Fresenius

Telas de um treinamento baseado em um jogo de tabuleiro desenvolvido para a Fresenius Medical Care pela Pixia.

5. Vídeos e Vídeos Interativos

Aprender através de vídeos será uma forte tendência em 2017. Além disso, a adoção de vídeos interativos que diminuem a passividade oferecendo conteúdos interativos torna o aprendizado mais dinâmico e atrativo e, com isso, garante bons resultados quando se trata de absorção de conteúdo.

6. Aprendizagem Colaborativa e Social

Hoje, o aprendizado social vem deixando de ser um “buzz” de mercado para se tornar cada vez mais uma realidade dentro das empresas que encorajam e promovem o pensamento crítico e as discussões dentro da equipe. Embora haja uma necessidade contínua de treinamento formal que atenda a resultados de aprendizagem específicos, existe um aumento da aprendizagem informal ou social onde os participantes podem compartilhar, colaborar e trocar idéias sobre a resolução de problemas.

Onde será dado o maior foco

1. Plataformas de Aprendizagem Responsivas

Neste ano veremos a consolidação de portais e plataformas de aprendizagem responsivos, além de plataformas com foco no social learning. Essas plataformas também utilizarão basicamente recursos e treinamentos responsivos implementados com o mobile learning, o microlearning e gamificação.

Além de todas as ferramentas e metodologias já citadas, podemos também destacar que a mensuração do desempenho e envolvimento do aluno através de análises específicas será uma das estratégias educacionais corporativas mais utilizadas, pois permitirá um conhecimento maior de sua cadeia de funcionários em termos de conhecimento. Proporcionarão dados relevantes para a construção de treinamentos específicos e direcionados àqueles que mais necessitam reforço sobre determinados aprendizados.

2. LMS (Learning Management System / AVA)

Em completa evolução, são plataformas dinâmicas, centradas no aluno e melhor – com sua infraestrutura na nuvem.

Com recursos que vão desde o suporte de aprendizagem mobile learning, trilhas de aprendizagem personalizadas, flexibilidade de aprendizagem social e análise aprimorada do aluno, as plataformas LMS serão uma ferramenta vital para garantir envolvimento dos alunos e avaliar seu desempenho, além de serem ferramentas poderosas para a área de Recursos Humanos, falando especificamente no âmbito corporativo, pois são softwares robustos que permitem gerenciar banco de dados complexos, gerenciamento de currículos, armazenam materiais de treinamento e possuem sistemas de avaliação.

São funcionais, não necessitam de complexos conhecimentos tecnológicos para utilização e poderão ser customizadas de acordo com a identidade visual e estratégia da empresa.

3. Métricas de Aprendizagem

A eficácia de aprendizagem ou aprendizado tem um impacto direto na reação do aluno, aprendizado e aplicação no trabalho. Serão utilizadas mais ferramentas personalizadas e frameworks gerenciais que permitem medir a eficácia de seus treinamentos e também auxiliar na construção de novos treinamentos e desenvolvimentos para sua força de trabalho.

4. Aprendizagem Analítica – Big Data

Compreender o comportamento do aluno e sua análise para avaliar o que pode impactá-lo e alinhar a experiência de aprendizagem com os ganhos de desempenho que a empresa procura.

Tendências para ficar atento em 2017

1. Aprendizagem Personalizada e Adaptável (Adaptive Learning)

Uma outra tendência para 2017 será a personalização da aprendizagem em vez de “unificar o aprendizado”. Isso se tornará um aspecto significativo da aprendizagem formal. Proporcionará aos colaboradores uma trilha de aprendizagem personalizada com base na sua interação com os componentes de aprendizagem.

artigo_tendencias_5

2. Curadoria de Conteúdo para a Aprendizagem

É o processo de triagem e curadoria de dados e informações mais relevantes e significativos na Internet e contextualizá-los ao treinamento para otimizar e melhorar a absorção do aprendizado. Pode ser usado para apoiar o treinamento formal ou parte da aprendizagem formal. Embora as trilhas de aprendizagem recomendadas possam ser estabelecidas, o controle ainda será com os alunos para personalizar e reconfigurar a maneira como eles querem aprender.

3. Realidade Virtual (VR) e Realidade Aumentada (AR)

Realidade Aumentada (AR) é uma técnica utilizada em 3D, que combina elementos virtuais com o ambiente real, proporcionando uma experiência interativa ao aluno, cujo processamento é feito em tempo real. Já a Realidade virtual (VR) promove uma experiência mais próxima à realidade, pois simula um ambiente real.

Ambas as técnicas são fortes tendências, pois através da interatividade com o conteúdo apresentado, tornam o aprendizado mais dinâmico e atraente para os colaboradores e, assim garantem maior absorção do conteúdo.

Conclusão

Neste artigo, compartilhamos algumas tendências e previsões de E-Learning para 2017. Estamos certos de que você encontrará a ferramenta mais adequada para que será útil na mitigação de alguns de seus desafios atuais, bem como na escala para o futuro (em sintonia com as mudanças nas expectativas). É claro que, com o grande avanço da tecnologia, outras ferramentas surgirão e poderão ser adaptadas à realidade de cada organização, mas é importante levar em consideração, as tendências para treinamento e desenvolvimento utilizando plataformas on-line que disponibilizem um aprendizado mais adaptado à realidade de cada organização e, desta forma, garantir que o resultado de sua estratégia educacional seja plenamente alcançado.

DEIXE UM COMENTÁRIO